fbpx

Hiperatividade em Cães

Hiperatividade em cães

Todo mundo sabe que cachorros gostam de correr, pular, morder, cavar, nadar, latir, rolar e tantas coisas mais, certo?! Mas como saber se toda essa energia é simplesmente uma característica da personalidade ou raça do cãozinho ou se existe algo realmente de errado em todo esse comportamento altamente energético?

Temos que lembrar que com o passar dos anos, os cães ganharam seu espaço em meio ao ambiente doméstico, e aqueles com heranças genéticas (para trabalhos no campo, por exemplo) e alta disposição para atividade passaram a acumular energia de sobra. Além disso, a hiperatividade em cães é comum em animais jovens. Pelo menos 60% dos filhotes de cães são hiperativos até os 12 meses de idade. Algumas raças com Labradores, Beagles, Fox Paulistinha, Jack Russel, Westies e outros podem continuar ainda hiperativos por  muito mais tempo (até 3 ou 4 anos de idade). Com o tempo o animal se torna adulto e deve se acalmar.

Mas como distinguir um cão agitado de um cão hiperativo?

Antes de tudo, precisamos saber que existem 2 tipos de hiperatividade nos cães:

  • Hiperatividade fisiológica: causa comportamental devido algum reforço positivo;
  • Hiperatividade patológica: provocada por uma alteração da dopamina (neurotransmissor) no cérebro.

Na realidade é muito difícil um cachorro ser diagnosticado com hiperatividade patológica. A maioria dos casos a causa é simplesmente comportamental. Muitos desses cães são ANSIOSOS e estão ENTENDIADOS e não podemos confundi-los com hiperativos. O que realmente acontece é que esse cão não tem um gasto de energia necessário. 

Mas se o seu cãozinho é daquele tipo que não para nem por um segundo, que tem dificuldade de se concentrar apenas em um estímulo, dando a impressão de prestar atenção em tudo ao mesmo tempo, que precisa fazer sempre alguma coisa, que não consegue relaxar, tem dificuldade para dormir, apresenta comportamento acelerado, agressivo ou reativo e late em excesso, é bom você considerar a hipótese de ele ser, sim, um cachorro hiperativo. 

A hiperatividade em cães, quando não tratada adequadamente, torna o convívio um tanto quanto difícil, e pode gerar transtornos compulsivos, como uma forma de transferir essa ansiedade.

Portanto, sempre procure um especialista para ajudar no diagnóstico e tratamento correto, pois alguns distúrbios fisiológicos, como o Hipertireoidismo, podem também acarretar esses comportamentos.

Como acalmar seu amigo de 4 patas?

O melhor remédio para esses cães é o EXERCÍCIO FÍSICO! Passeios longos, jogar bolinha/frisbee, brincar com o dono ou com outro animal, nadar, agility, trilhas, roer ossos, entre outros, são maneiras de gastar a energia do animal. Mas avalie sempre o condicionamento físico de cada cão individualmente, pois cada um possui um determinado nível de atividade (gasto de energia) que pode variar bastante de raça para raça e de indivíduo para indivíduo. 

Por mais importante que o exercício físico seja, às vezes isso não basta para acalmar totalmente o cachorro hiperativo. Alguns deles precisam ainda ser estimulados cognitivamente através de jogos, brincadeiras e outras atividades de aprendizado. Para esses jogos e brincadeiras ficarem mais atrativos, conte com a ajuda dos aromas e sabores dos nossos petiscos desidratados. Além disso, permitir que o cão tenha comportamentos que darão vazão à ansiedade dele, como o de morder algum objeto, brinquedos, ossos e petiscos desidratados, pode ser uma solução saudável encontrada para extravasar uma ansiedade excessiva.

Lembre-se que observar e entender o comportamento do seu cão é sempre muito importante. Procure sempre a ajuda de um especialista!

Gostou? Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email
Atendimento AN Pets
Iniciar bate papo